Análise SWOT – Forcas, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças

Decidir qual a estratégia uma empresa vai seguir, como já foi dito no post anterior, é uma das tarefas mais difíceis no planejamento do negócio. Uma boa ferramenta é a Matriz SWOT (em inglês) ou FOFA, em português. Desenvolvida há mais ou menos 40 anos na Universidade de Harvard, ela ainda é muito utilizada nos dias de hoje. A sigla que compõe o seu nome é um anagrama para as palavras: Força, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças. E ela serve para, de uma forma sucinta, desenhar como está o ambiente em volta da sua empresa no momento atual. Desenhando o momento atual, pode-se projetar os planos para o futuro, ou seja, as estratégias a serem seguidas.

A matriz irá retratar duas visões da empresa: o ambiente interno, ou seja, aquilo que se passa dentro da empresa e não depende do mercado como, por exemplo, processos internos, controles, caixa e etc, e o ambiente externo, que é aquilo que depende do mercado, das políticas econômicas e etc. Sempre será mais difícil retratar o que está ruim ou o que atrapalha as atividades da empresa, talvez seja a maneira como nosso psicológico se defende das coisas que não nos agradam.

Para montar a matriz SWOT, analise primeiro o ambiente interno de sua empresa, ou seja, verifique e escreva num papel quais são suas Forcas e Fraquezas.

FORÇAS: Está relacionado às vantagens que sua empresa possui em relação aos concorrentes. Não somente sobre o produto, mas de uma forma geral. Para ajudar a definir as Forças, algumas perguntas podem ser feitas:
- O produto é diferente dos outros? Tem maior vantagem competitiva? (Óbvio que sempre achamos nosso produto melhor, mas seja sincero nessas respostas)
- O preço é competitivo?
- A qualidade do produto é melhor?
- A empresa é capitalizada?
- A distribuição é mais eficiente?
- O pós-venda é eficiente?
- O staff conhece bem o que vende?
- Os controles são satisfatórios?
Tente elaborar perguntas sobre todo o seu negócio e verificar quais pontos fazem a empresa ter mais vantagem competitiva.

FRAQUEZAS: As fraquezas de uma empresa estão diretamente relacionado às desvantagens dela. As mesmas perguntas que foram feitas para as FORÇAS podem ser feitas para definir essa etapa. Geralmente, gasta-se um tempo para “digerir” uma fraqueza quando ela é detectada e ninguém havia visto antes. Por isso, nessa etapa a sinceridade das análises é essencial.

Por exemplo, às vezes o índice de resolução de problemas do departamento de pós-venda é grande, mas a satisfação do cliente não acompanha esse índice, ou seja, obviamente que sua empresa tem uma fraqueza no atendimento após a venda, provavelmente resolve os problemas do cliente de uma forma diferente que ele gostaria e nem sabe disso.

Após analisar seu próprio ambiente, é hora de analisar o que acontece a sua volta para apontar as Oportunidades e as Ameaças.

OPORTUNIDADES: É tudo aquilo que influencia positivamente a empresa, mas que você não tem controle sobre a atuação. Como exemplos, temos a atuação governamental em algum setor, índices econômicos e qualquer outro fato que influencie diretamente o mercado de atuação da empresa. No ramo de Coworking, por exemplo, o “boom imobiliário” nos últimos anos elevou os preços dos imóveis surgindo uma oportunidade para quem deseja compartilhar os custos de uma estrutura, diminuindo-os. Outro exemplo interessante é a ascensão das classes sociais no Brasil, que certamente trouxe- oportunidade para vários ramos de atividade.

Para determinar as oportunidades de sua empresa será necessário uma pesquisa minuciosa sobre o que está acontecendo no âmbito político, econômico, social, demográfico e etc e tentar correlacionar o ambiente externo com o da sua empresa.

AMEAÇAS: Ao contrário das oportunidades, as ameaças são forças externas ao ambiente da empresa que influenciam negativamente o negócio. Uma ameaça deve sempre ser tratada com muita cautela, pois pode prejudicar a empresa não somente em sua estratégia, mas diretamente em seu resultado. Um exemplo simples de se entender é a flutuação cambial que no Brasil já sofreu bruscas alterações e colocou em risco vários negócios.

Para se determinar uma ameaça deve-se analisar, assim como na oportunidade, o ambiente político, econômico, social, demográfico e etc e tentar fazer uma análise futura de como aquele fator poderá prejudicar o seu negócio. Assim será possível realizar ações preventivas que minimizem o impacto da ameaça na empresa.

Certamente, a Matriz SWOT é apenas uma das diversas ferramentas existente para se elaborar uma atuação estratégica. Quanto maior o número de fontes você tentar obter para elaborar sua análise, mais verdadeira ela será e melhores resultados alcançará. Mais uma vez, não me cabe aqui indicar nenhuma fonte, pois o post baseia-se na minha própria experiência empresarial.